quarta-feira

O Brasil tem o maior programa do mundo de distribuição de medicamentos

Depois do programa Farmácia Popular criada pelo governo Lula, que disponibilizava medicamentos com até 90% de desconto – que ainda continua para qualquer medicamento – a Dilma lançou no princípio do ano o programa de medicamentos gratuitos para doenças crônicas que é o maior do gênero em todo o mundo.

De janeiro a agosto de 2011, o número de brasileiros que recebem gratuitamente medicamentos contra hipertensão aumentou 219% e, contra diabetes, 156%. A informação foi apresentada pelo ministro da Saúde, Alexandre Padilha, que participou nesta quinta-feira (25/8) do programa de rádio Bom Dia, Ministro.

 

Ao comentar o programa de distribuição gratuita de medicamentos contra diabetes e hipertensão, o Aqui Tem Farmácia Popular, lançado no início de fevereiro pela presidenta Dilma Rousseff, o ministro Padilha informou que o governo agora estuda inserir outras doenças crônicas no programa. Problemas como a osteoporose e distúrbios da tireoide podem ser alvo da ampliação da política de distribuição gratuita de remédios, antecipou o ministro. 

 

O Brasil tem hoje o maior programa do mundo de distribuição de medicamentos”, disse. 

 

Continue lendo... 

Se gostou deste post, subscreva o nosso RSS Feed ou siga noTwitter para acompanhar as nossas atualizações


Share/Save/Bookmark

2 comentários:

Borboletas no Estômago disse...

mas isso não quer dizer que a saúde seja boa

Paulo Athayde disse...

Olá!

Tem razão, pois, pode melhorar muito ainda. Entretanto existem poucos países mesmo desenvolvidos que teem um sistema de saúde universal e gratuito como o do Brasil.

Nos EUA, por exemplo, de virtudes tão decantadas, só tem assistência à saúde quem pode pagar por ela, literalmente, do contrário, morre, mesmo, sem assistência. É verdade!

São dados publicados por associação médica norte-americana, como pode conferir no artigo: http://colunadleitor.blogspot.com/2009/09/sus-ruim-com-ele-melhor-do-que-as.html

Claro que, como disse acima, temos muito ‘chão para andar’ no sentido da excelência, mas, o que temos tem funcionado.

Um grande abraço